Quarta, 13 Dezembro 2017 20:32

CONSUMO, PADRÃO QUE SE REPETE

Avalie este item
(0 votos)

Alimentos mais baratos e alívio na dívida das famílias permitiram retomada dos gastos. Mas PIB com esse perfil tem fôlego curto.

Chama a atenção que, num país com 12,7 milhões de desempregados, o consumo tenha sido o principal componente a explicar a alta do PIB. Do crescimento de 0,1% registrado frente ao segundo trimestre do ano passado, os gastos das famílias responderam por 0,8 ponto percentual (outros setores tiveram contribuição negativa, como a variação de estoque). Foi o fator mais relevante para o crescimento, superando até mesmo o 0,6 ponto percentual das exportações.
A liberação de R$ 44 bilhões das contas inativas do FGTS é só uma pequena parte da explicação. Inflação baixa – e com preços de alimentos em queda -, juros esbarrando nas mínimas históricas do país e o fim de um ciclo nos quais as famílias, a duras penas, reduziram drasticamente suas dívidas (processo que os economistas chamam de desalavancagem) permitiram a volta às compras.
Em meio às notícias ruins na política, na segurança pública e mesmo na economia, a sensação de bem-estar dos brasileiros está muito longe de ter voltado ao patamar pré-recessão.
Mas, com um pequeno alívio na renda, as famílias voltaram a consumir porque, em alguns casos, não dá mais para cortar: se o fogão de casa pifou, é preciso comprar um novo; se a sandália de ir à escola arrebentou, os pais têm de substituí-la. E, com metade dos brasileiros ganhando menos que um mínimo, como mostrou pesquisa recente do IBGE, uma queda de 5% nos preços dos alimentos (em 12 meses até outubro) faz toda a diferença para fazer sobrar um pouquinho de salário no fim do mês.
A recuperação do consumo – foram três trimestres seguidos de alta – coincide com o fim da recessão brasileira. Se isso representa um refresco para as famílias, traz por outro lado perspectivas pouco auspiciosas para o fôlego da economia. Se depender do consumo, diante da expansão ainda muito incipiente e pouco disseminada dos investimentos, o Brasil poderá repetir a fórmula das “retomadas-pós-recessão” anteriores. Cresce, porém não engana uma trajetória sustentada e duradoura de desenvolvimento econômico.

Ler 62 vezes

AUMENTO DE IMPOSTOS

O próximo governo vai aumentar impostos. A questão é saber quais e de que forma. Alguns candidatos dizem que não vão aumentar, outros fazem ameaças vagas aos mais ricos. Outros dizem que reduzirão benefícios, o que é, na prática, elevar tributos. O tema é tabu no Brasil. O esforço deveria...

Leia Mais

MARFRIG RECEBE OFERTA DE COMPRA DA KEYSTONE FOODS

Unidade de alimentos processados para restaurantes está à venda.

Leia Mais

BRIGA ENTRE CHINA E EUA PODE LEVAR BRASIL A IMPORTAR SOJA

Em junho, o governo estimou que as exportações brasileiras de soja em 2018 devem totalizar 72 milhões de toneladas. O Brasil, maior exportador mundial de soja, poderá ter de importar a oleaginosa dos Estados Unidos neste ano para atender à demanda de processadores locais, disse um executivo da Anec.

Leia Mais

L’ORÉAL INVESTE EM ALTA TECNOLOGIA E TRATA MERCADO BRASILEIRO COMO PRIORIDADE

Robôs já atuam nos laboratórios da empresa. Oferecer cosméticos personalizados é uma das metas da fabricante.

Leia Mais

RECOLHIMENTOS PREVIDENCIÁRIOS

Temos recebido consultas de associados quanto ao direito ao aproveitamento de créditos decorrentes dos recolhimentos previdenciários realizados sobre descontos dos salários de seus empregados, a título de vale-transporte e vale-alimentação.

Leia Mais

CONSUMIDOR APOSTA NO ATACAREJO E NÃO ABRE MÃO DAS PROMOÇÕES

A mais recente edição do Consumer Insights, estudo elaborado pela Kantar que analisa dados colhidos em 11,3 mil lares brasileiros, que representa 55 milhões de residências no país, revela que os primeiros três meses do ano foram impactados pelos sinais de recuperação da economia, ainda que o desemprego tenha aumentado.

Leia Mais

NESTLÉ BUSCA PRODUTOS PARA ATRAIR NOVA GERAÇÃO DE CONSUMIDORES

Empresa investe U$ 1,7 bilhão por ano em pesquisa e desenvolvimento de novidades.

Leia Mais

DEPOIS DOS ELETRÔNICOS, BATON E XAMPU

LG vai vender cosméticos em farmácias e na internet.

Leia Mais

EM SEIS MESES, DEMISSÕES POR ACORDO AUMENTAM QUASE 150% NO PAÍS

Setor de serviços foi o que mais registrou casos da modalidade de rescisão em maio.

Leia Mais

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL VIRA ALVO DE BATALHA JUDICIAL

Ações triplicam e chegam a 15,5 mil com mudanças na lei trabalhista. Sindicatos tentam manter cobrança, e trabalhadores buscam garantir isenção.

Leia Mais

NA CRISE, FAMILIAS TIRARAM ATÉ FRALDA DA CESTA DE COMPRAS

Com vendas em queda e preço maior, consumidor limita uso do produto.

Leia Mais

ROTA DE FUGA – Empresas apostam em operação no exterior para crescer. Em 3 anos, subsidiárias aumentaram 47%

Empresas apostam em operação no exterior para crescer. Em 3 anos, subsidiárias aumentaram 47%.

Leia Mais

ANVISA DETERMINA RECOLHIMENTO DE 79 LOTES DE FRALDAS

Após denúncia da Anvisa mandou recolher 70 lotes de fraldas descartáveis da marca Huggies Turma da Mônica.

Leia Mais

REGRA AFETA EMPRESAS OPTANTES PELO LUCRO REAL ANUAL

Entrou em vigor no final de maio a Lei 13.670, cujo texto restringe compensações tributárias. Agora, empresas optantes pelo lucro real anual não podem mais realizar  o pagamento das estimativas mensais de IRPJ e da CSLL por meio de compensação com os valores que tinham a receber do Fisco.

Leia Mais

ARTIGOS DE LIMPEZA EM CÁPSULAS

De olho no mercado sustentável, dupla produz artigos de limpeza e aposta no modelo de venda por assinatura.

Leia Mais