Quarta, 22 Novembro 2017 18:19

MARFRIG E MINERVA GANHAM ESPAÇO NO MERCADO COM CRISE DETONADA PELA JBS

Avalie este item
(0 votos)

Embora o quarto trimestre seja aguardado pelos frigoríficos, por tradicionalmente ser o melhor do ano para as vendas de proteína animal, o período ainda deve ser marcado por desafios, especialmente para a JBS.

A gigante do setor terá de superar a desconfiança que ainda paira no mercado após os episódios da Operação Carne Fraca e da delação dos irmãos Wesley e Joesley Batista no âmbito da Lava Jato.
"O mercado, de modo geral, está com a confiança abalada na empresa e ainda não sei quanto tempo vai levar para que a companhia possa recuperar o que está perdendo", diz o diretor técnico da Informa Economics IEG/FNP, José Vicente Ferraz.
A companhia obteve lucro líquido de R$ 323 milhões de julho a setembro deste ano, queda de 64% sobre o resultado de um ano antes, que foi de R$ 887 milhões. "Esse desempenho reflete as dificuldades que a empresa enfrenta no mercado interno", diz.
A companhia reportou no terceiro trimestre queda de 17% dos abates no País na comparação anual e a receita líquida da unidade de negócios Brasil recuou 24,4% ante igual intervalo do ano passado, para R$ 5,1 bilhões, pressionada pela venda de operações de carne bovina da companhia na Argentina, Paraguai e Uruguai, adquiridas pela Minerva.
A empresa informou no balanço que o lucro líquido teria sido de R$ 1,9 bilhão no terceiro trimestre se a companhia não tivesse aderido ao Programa Especial de Regularização Tributária, o Refis. A JBS registrou um lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado de R$ 4,32 bilhões de julho a setembro, alta de 37% na comparação anual.
Marfrig
Enquanto a JBS busca um meio de superar os escândalos em que está envolvida, a Marfrig Global Foods aproveitou a crise para retomar os abates em unidades que estavam fechadas. Com isso, a segunda maior do País fechou o terceiro trimestre com prejuízo líquido de R$ 58 milhões de julho a setembro, ante perda de R$ 156 milhões do mesmo período do ano passado.
"Nós esperamos que o quarto trimestre seja muito parecido com esse último, quem sabe até um pouco melhor, porque é o período mais importante tanto aqui quanto no Uruguai", disse ao DCI o CEO da Marfrig, Martin Secco. A divisão Beef, que tem 19 plantas no Chile, Brasil e Uruguai, responde por 50% da receita da companhia.
A Marfrig chegou à marca de abate de 250 mil cabeças mensais no terceiro trimestre, com a reabertura de unidades de Pirenópolis (GO) e Nova Xavantina (MT), ampliando em 22% o volume produzido na comparação anual. "Nosso plano é chegar a 300 mil cabeças mensais no fim do quarto trimestre e estamos totalmente preparados para isso", assegurou Secco. Até dezembro deste ano, voltam a operar as unidades de Alegrete (RS), Ji-Paraná (RO) e Paranaíba (MS).
O CEO ainda destacou que o processo de abertura de novas unidades deve se encerrar no próximo trimestre. "A única questão que fica indefinida para a companhia é o aluguel, anunciado no fim de outubro, da unidade de Pontes e Lacerda, em Mato Grosso, para a qual ainda não temos data de abertura e que consideramos um movimento estratégico", salientou o CEO.
Durante apresentação dos resultados a investidores, Secco afirmou que o IPO da Keystone deve ficar para 2018. A Keystone voltou a apresentar resultado recorde, com Ebitda ajustado de R$ 244 milhões no terceiro trimestre, alta de 25% na comparação anual, e margem Ebitda de 10,8%. A receita líquida registrada no terceiro trimestre foi de R$ 2,3 bilhões, alta de 4% sobre o mesmo período do ano passado.
Na semana passada, o Minerva Foods também divulgou seus resultados. A companhia ampliou em 81% o lucro líquido ante o mesmo período do ano passado, para R$ 85,8 milhões. Assim como a Marfrig, a empresa aproveitou a turbulência no setor e reabriu a unidade de Mirassol d´Oeste (MT), além de adquirir as plantas das quais o JBS se desfez no Mercosul. Com isso, a receita líquida do período atingiu recorde de R$ 3,4 bilhões.

Ler 61 vezes

AUMENTO DE IMPOSTOS

O próximo governo vai aumentar impostos. A questão é saber quais e de que forma. Alguns candidatos dizem que não vão aumentar, outros fazem ameaças vagas aos mais ricos. Outros dizem que reduzirão benefícios, o que é, na prática, elevar tributos. O tema é tabu no Brasil. O esforço deveria...

Leia Mais

MARFRIG RECEBE OFERTA DE COMPRA DA KEYSTONE FOODS

Unidade de alimentos processados para restaurantes está à venda.

Leia Mais

BRIGA ENTRE CHINA E EUA PODE LEVAR BRASIL A IMPORTAR SOJA

Em junho, o governo estimou que as exportações brasileiras de soja em 2018 devem totalizar 72 milhões de toneladas. O Brasil, maior exportador mundial de soja, poderá ter de importar a oleaginosa dos Estados Unidos neste ano para atender à demanda de processadores locais, disse um executivo da Anec.

Leia Mais

L’ORÉAL INVESTE EM ALTA TECNOLOGIA E TRATA MERCADO BRASILEIRO COMO PRIORIDADE

Robôs já atuam nos laboratórios da empresa. Oferecer cosméticos personalizados é uma das metas da fabricante.

Leia Mais

RECOLHIMENTOS PREVIDENCIÁRIOS

Temos recebido consultas de associados quanto ao direito ao aproveitamento de créditos decorrentes dos recolhimentos previdenciários realizados sobre descontos dos salários de seus empregados, a título de vale-transporte e vale-alimentação.

Leia Mais

CONSUMIDOR APOSTA NO ATACAREJO E NÃO ABRE MÃO DAS PROMOÇÕES

A mais recente edição do Consumer Insights, estudo elaborado pela Kantar que analisa dados colhidos em 11,3 mil lares brasileiros, que representa 55 milhões de residências no país, revela que os primeiros três meses do ano foram impactados pelos sinais de recuperação da economia, ainda que o desemprego tenha aumentado.

Leia Mais

NESTLÉ BUSCA PRODUTOS PARA ATRAIR NOVA GERAÇÃO DE CONSUMIDORES

Empresa investe U$ 1,7 bilhão por ano em pesquisa e desenvolvimento de novidades.

Leia Mais

DEPOIS DOS ELETRÔNICOS, BATON E XAMPU

LG vai vender cosméticos em farmácias e na internet.

Leia Mais

EM SEIS MESES, DEMISSÕES POR ACORDO AUMENTAM QUASE 150% NO PAÍS

Setor de serviços foi o que mais registrou casos da modalidade de rescisão em maio.

Leia Mais

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL VIRA ALVO DE BATALHA JUDICIAL

Ações triplicam e chegam a 15,5 mil com mudanças na lei trabalhista. Sindicatos tentam manter cobrança, e trabalhadores buscam garantir isenção.

Leia Mais

NA CRISE, FAMILIAS TIRARAM ATÉ FRALDA DA CESTA DE COMPRAS

Com vendas em queda e preço maior, consumidor limita uso do produto.

Leia Mais

ROTA DE FUGA – Empresas apostam em operação no exterior para crescer. Em 3 anos, subsidiárias aumentaram 47%

Empresas apostam em operação no exterior para crescer. Em 3 anos, subsidiárias aumentaram 47%.

Leia Mais

ANVISA DETERMINA RECOLHIMENTO DE 79 LOTES DE FRALDAS

Após denúncia da Anvisa mandou recolher 70 lotes de fraldas descartáveis da marca Huggies Turma da Mônica.

Leia Mais

REGRA AFETA EMPRESAS OPTANTES PELO LUCRO REAL ANUAL

Entrou em vigor no final de maio a Lei 13.670, cujo texto restringe compensações tributárias. Agora, empresas optantes pelo lucro real anual não podem mais realizar  o pagamento das estimativas mensais de IRPJ e da CSLL por meio de compensação com os valores que tinham a receber do Fisco.

Leia Mais

ARTIGOS DE LIMPEZA EM CÁPSULAS

De olho no mercado sustentável, dupla produz artigos de limpeza e aposta no modelo de venda por assinatura.

Leia Mais