Quarta, 20 Junho 2018 21:42

R$ 39,3 BILHÕES PARA TURBINAR O CONSUMO

Avalie este item
(0 votos)

Governo libera o saque do PIS/PASEP para 28,7 milhões de pessoas desde o dia 18,

Não há forma mais rápida e eficiente de aquecer a economia do que colocar dinheiro vivo na palma da mão da população. Dada a baixa propensão do brasileiro a poupar, os destinos naturais de qualquer renda extra acabam sendo o pagamento de dívidas ou o consumo – ambos são positivos. De olho nesse efeito virtuoso, o governo liberou, desde o dia 18, o saque do PIS/PASEP para 28,7 milhões de pessoas que trabalharam entre 1971 e 1988. Em média, cada um tem direito a R$ 1.370, totalizando R$ 39,3 bilhões até o dia 28 de setembro, quando termina o prazo. “Esses R$ 39 bilhões são valores preciosos, que não pertencem à CEF ou ao governo, mas ao próprio trabalhador”, afirmou o presidente Michel Temer.

No fim de 2016, o governo havia tomado medida semelhante para aquecer a economia. Na ocasião, o presidente autorizou o saque das contas inativas do FGTS para 25,9 milhões de pessoas, injetando R$ 44 bilhões. Esse montante contribuiu para a expansão de 7,4% no comércio varejista ampliado (incluindo automóveis e materiais de construção) no ano passado. Em 2018, o varejo vem demonstrando bons resultados nas principais datas comemorativas. O desempenho do comércio em abril superou as expectativas dos analistas, com expansão de 1,3% em relação a março, segundo o IBGE.

Um estudo da CNC mostra que 25% dos recursos do FGTS (R$ 11 bilhões) liberados no ano passado foram efetivamente gastos no varejo. “Muitas famílias ainda estavam inadimplentes e priorizaram o pagamento de dívidas”, diz Fábio Bentes. “Agora, apesar de o volume do OIS/PASEP ser menor, mais pessoas devem gastar, o que deve resultar na injeção de R$ 10 bilhões ao varejo”. As consultorias ressaltam, no entanto, que o desempenho do comércio em maio e em junho será prejudicado pelas paralisações dos caminhoneiros em todo ao País.

Outro efeito que pode atrapalhar o consumo é a alta dos preços gerada pelo tabelamento do frete e pela valorização do dólar, que acumula ganhos acima de 12% no ano, frente ao real. “Os setores produtivo e industrial já sinalizaram que a variação para mais na logística de entrega encarecerá as mercadorias em percentuais que podem chegar a até dois dígitos de aumento”, diz em nota a Apas. “Aliado a isto, com a alta do dólar, não só a produção nacional, mas também produtos importados ou que levem matéria-prima importada no processo de fabricação sofrerão impactos nos preços”. Coloca-se em risco, assim, a preservação do poder de compra das famílias, que dependem de uma inflação baixa para continuar consumindo.

Ler 12 vezes

AUMENTO DE IMPOSTOS

O próximo governo vai aumentar impostos. A questão é saber quais e de que forma. Alguns candidatos dizem que não vão aumentar, outros fazem ameaças vagas aos mais ricos. Outros dizem que reduzirão benefícios, o que é, na prática, elevar tributos. O tema é tabu no Brasil. O esforço deveria...

Leia Mais

MARFRIG RECEBE OFERTA DE COMPRA DA KEYSTONE FOODS

Unidade de alimentos processados para restaurantes está à venda.

Leia Mais

BRIGA ENTRE CHINA E EUA PODE LEVAR BRASIL A IMPORTAR SOJA

Em junho, o governo estimou que as exportações brasileiras de soja em 2018 devem totalizar 72 milhões de toneladas. O Brasil, maior exportador mundial de soja, poderá ter de importar a oleaginosa dos Estados Unidos neste ano para atender à demanda de processadores locais, disse um executivo da Anec.

Leia Mais

L’ORÉAL INVESTE EM ALTA TECNOLOGIA E TRATA MERCADO BRASILEIRO COMO PRIORIDADE

Robôs já atuam nos laboratórios da empresa. Oferecer cosméticos personalizados é uma das metas da fabricante.

Leia Mais

RECOLHIMENTOS PREVIDENCIÁRIOS

Temos recebido consultas de associados quanto ao direito ao aproveitamento de créditos decorrentes dos recolhimentos previdenciários realizados sobre descontos dos salários de seus empregados, a título de vale-transporte e vale-alimentação.

Leia Mais

CONSUMIDOR APOSTA NO ATACAREJO E NÃO ABRE MÃO DAS PROMOÇÕES

A mais recente edição do Consumer Insights, estudo elaborado pela Kantar que analisa dados colhidos em 11,3 mil lares brasileiros, que representa 55 milhões de residências no país, revela que os primeiros três meses do ano foram impactados pelos sinais de recuperação da economia, ainda que o desemprego tenha aumentado.

Leia Mais

NESTLÉ BUSCA PRODUTOS PARA ATRAIR NOVA GERAÇÃO DE CONSUMIDORES

Empresa investe U$ 1,7 bilhão por ano em pesquisa e desenvolvimento de novidades.

Leia Mais

DEPOIS DOS ELETRÔNICOS, BATON E XAMPU

LG vai vender cosméticos em farmácias e na internet.

Leia Mais

EM SEIS MESES, DEMISSÕES POR ACORDO AUMENTAM QUASE 150% NO PAÍS

Setor de serviços foi o que mais registrou casos da modalidade de rescisão em maio.

Leia Mais

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL VIRA ALVO DE BATALHA JUDICIAL

Ações triplicam e chegam a 15,5 mil com mudanças na lei trabalhista. Sindicatos tentam manter cobrança, e trabalhadores buscam garantir isenção.

Leia Mais

NA CRISE, FAMILIAS TIRARAM ATÉ FRALDA DA CESTA DE COMPRAS

Com vendas em queda e preço maior, consumidor limita uso do produto.

Leia Mais

ROTA DE FUGA – Empresas apostam em operação no exterior para crescer. Em 3 anos, subsidiárias aumentaram 47%

Empresas apostam em operação no exterior para crescer. Em 3 anos, subsidiárias aumentaram 47%.

Leia Mais

ANVISA DETERMINA RECOLHIMENTO DE 79 LOTES DE FRALDAS

Após denúncia da Anvisa mandou recolher 70 lotes de fraldas descartáveis da marca Huggies Turma da Mônica.

Leia Mais

REGRA AFETA EMPRESAS OPTANTES PELO LUCRO REAL ANUAL

Entrou em vigor no final de maio a Lei 13.670, cujo texto restringe compensações tributárias. Agora, empresas optantes pelo lucro real anual não podem mais realizar  o pagamento das estimativas mensais de IRPJ e da CSLL por meio de compensação com os valores que tinham a receber do Fisco.

Leia Mais

ARTIGOS DE LIMPEZA EM CÁPSULAS

De olho no mercado sustentável, dupla produz artigos de limpeza e aposta no modelo de venda por assinatura.

Leia Mais