Quarta, 20 Junho 2018 21:42

R$ 39,3 BILHÕES PARA TURBINAR O CONSUMO

Avalie este item
(0 votos)

Governo libera o saque do PIS/PASEP para 28,7 milhões de pessoas desde o dia 18,

Não há forma mais rápida e eficiente de aquecer a economia do que colocar dinheiro vivo na palma da mão da população. Dada a baixa propensão do brasileiro a poupar, os destinos naturais de qualquer renda extra acabam sendo o pagamento de dívidas ou o consumo – ambos são positivos. De olho nesse efeito virtuoso, o governo liberou, desde o dia 18, o saque do PIS/PASEP para 28,7 milhões de pessoas que trabalharam entre 1971 e 1988. Em média, cada um tem direito a R$ 1.370, totalizando R$ 39,3 bilhões até o dia 28 de setembro, quando termina o prazo. “Esses R$ 39 bilhões são valores preciosos, que não pertencem à CEF ou ao governo, mas ao próprio trabalhador”, afirmou o presidente Michel Temer.

No fim de 2016, o governo havia tomado medida semelhante para aquecer a economia. Na ocasião, o presidente autorizou o saque das contas inativas do FGTS para 25,9 milhões de pessoas, injetando R$ 44 bilhões. Esse montante contribuiu para a expansão de 7,4% no comércio varejista ampliado (incluindo automóveis e materiais de construção) no ano passado. Em 2018, o varejo vem demonstrando bons resultados nas principais datas comemorativas. O desempenho do comércio em abril superou as expectativas dos analistas, com expansão de 1,3% em relação a março, segundo o IBGE.

Um estudo da CNC mostra que 25% dos recursos do FGTS (R$ 11 bilhões) liberados no ano passado foram efetivamente gastos no varejo. “Muitas famílias ainda estavam inadimplentes e priorizaram o pagamento de dívidas”, diz Fábio Bentes. “Agora, apesar de o volume do OIS/PASEP ser menor, mais pessoas devem gastar, o que deve resultar na injeção de R$ 10 bilhões ao varejo”. As consultorias ressaltam, no entanto, que o desempenho do comércio em maio e em junho será prejudicado pelas paralisações dos caminhoneiros em todo ao País.

Outro efeito que pode atrapalhar o consumo é a alta dos preços gerada pelo tabelamento do frete e pela valorização do dólar, que acumula ganhos acima de 12% no ano, frente ao real. “Os setores produtivo e industrial já sinalizaram que a variação para mais na logística de entrega encarecerá as mercadorias em percentuais que podem chegar a até dois dígitos de aumento”, diz em nota a Apas. “Aliado a isto, com a alta do dólar, não só a produção nacional, mas também produtos importados ou que levem matéria-prima importada no processo de fabricação sofrerão impactos nos preços”. Coloca-se em risco, assim, a preservação do poder de compra das famílias, que dependem de uma inflação baixa para continuar consumindo.

Ler 28 vezes

PARA VENCER A RAZÃO...

No caos que nos atordoa, às vésperas de uma eleição que nos parece imprevisível e decisiva, o que nos consola é saber que o tempo que vivemos vai passar um dia.

Leia Mais

RENDA DE 35% DOS BRASILEIROS É INSUFICIENTE PARA PAGAR AS PRÓPRIAS CONTAS

A renda de 35% dos brasileiros é insuficiente para pagar as contas em dia, mostrou levantamento feita pela CNDL e SPC.

Leia Mais

INTERNAUTA TEM MIGRADO COMPRA POR MARCAS MAIS ECONÔMICAS

O internauta brasileiro está trocando marcas de alimentos mais caras por outras mais econômicas. É o que mostra um estudo do Ibope Conecta sobre alimentação. De acordo com a pesquisa, 69% dos ouvidos estão trocando por alimentos de marcas mais baratas.

Leia Mais

PREÇO DECIDE COMPRAS ONLINE

Levantamento afirma que 67% dos consumidores de lojas virtuais de fora do país consideram que produtos com valores menores são a principal vantagem. Entre os itens mais comprados, estão roupas, calçados e acessórios. 

Leia Mais

FGTS CONSIGNADO

O Ministério do Trabalho está dando os retoques finais num projeto para alavancar os empréstimos consignados para o trabalhador da iniciativa privada, atrelando como garantia os recursos do FGTS. A proposta, que terá que passar pelo crivo do Conselho Curador do FGTS, vai baixar os juros do consignado para o...

Leia Mais

BRASIL FICA ENTRE OS ÚLTIMOS EM RANKING DE CRESCIMENTO

Expansão foi uma das piores em lista de 43 países, superando apenas Hong Kong e México.

Leia Mais

NAS LOJAS, JUROS NAS ALTURAS

Varejista é mais tolerante com devedor para manter relação.Redes ganham com parcelamento. Para consumidor, todo cuidado é pouco.

Leia Mais

CLIENTES DO ATACAREJO VOLTAM A PROCURAR MARCAS LÍDERES

Os clientes do atacarejo voltaram a priorizar as marcas líderes na hora de montar a cesta de compras, principalmente em itens básicos, como arroz, feijão e óleo de cozinha, Para 58% dos clientes que consomem estes produtos, a marca é mais importante do que o preço.

Leia Mais

BRASIL NA ROTA DO ENVELHECIMENTO

O Brasil terá mais idosos do que crianças e adolescentes, de até 15 anos, no prazo de duas décadas. O dado está em projeção divulgada pelo IBGE, no mês de julho, que aponta que o Brasil está em trajetória de envelhecimento e, em 21 anos, o número de idosos, com...

Leia Mais

CERVEJAS APOSTAM EM MACONHA PARA CRESCER

O que as cervejarias americanas estão fazendo para se proteger contra a queda no crescimento de sua principal operação? No caso da empresa mãe da Corona, investindo com força na indústria da maconha.

Leia Mais

MARFRIG VENDE KEYSTONE E SEU VALOR ENCOLHE R$ 397 MILHÕES

Operação com a americana Tyson Foods por U$ 2,5 bi não foi confirmada oficialmente. Para analistas, mudança ajudará a reduzir endividamento.

Leia Mais

INADIMPLÊNCIA DEPENDE DE EMPREGOS E RENDA

O número de brasileiros inadimplentes se mostra estável, mas em patamar elevado.

Leia Mais

DADOS MOSTRAM RETOMADA DE CENÁRIO NO BRASIL

Os indicadores macroeconômicos recém divulgados mostram que voltamos, em partes, ao cenário anterior à greve dos caminhoneiros, mas a demanda segue fraca com a manutenção da desconfiança e do desemprego alto.

Leia Mais

ENTIDADES CONTESTAM TABELAMENTO DE FRETES

A CNA entrou com um novo pedido no STF para suspender o tabelamento mínimo de fretes, sancionado pelo presidente Temer.

Leia Mais

EXPORTAÇÃO DE GLICERINA ATINGE MARCA DE 40 TONELADAS EM JULHO

As exportações brasileiras de glicerina voltaram a bater recordes no mês de julho segundo os números mais recentes da balança comercial brasileira divulgado pelo ministério da indústria e Comércio Exterior e serviços.

Leia Mais