Terça, 05 Dezembro 2017 20:14

UMA REFORMA PARA O BRASIL DE HOJE E DE AMANHÃ

Avalie este item
(0 votos)

Entender direitos e deveres, estar aberto ao diálogo e evitar revanchismo. É assim que patrões e empregados, na opinião do especialista no tema, José Pastore, devem agir diante da nova legislação trabalhista.

Conhecer, dialogar e negociar. Essa é a síntese da nova postura que patrões e empregados devem adotar diante da Lei 13.467/17, que instituiu a reforma trabalhista no Brasil e promete proporcionar ganhos para os dois lados e, em especial, para os consumidores, desde 13 de novembro deste ano, quando entrou em vigor.
Ao equilibrar forças, flexibilizar regras e agilizar trâmites, a nova legislação promete gerar oportunidades, incentivar a produtividade e racionalizar a relação entre empregadores e empregados, colocando o negociado acima do legislado. Em síntese, a mudança deve contribuir para ganhos sociais e econômicos tanto presentes, quanto futuros.
O dispositivo prevê maior equilíbrio entre direitos e deveres, além de proporcionar mais flexibilidade às formas de contratação e dar agilidade aos trâmites processuais. Isso gera oportunidades para mais contratações, incentiva a produtividade e racionaliza as disputas, o que permite realocar recursos como energia, tempo e dinheiro, disponibilizando mais investimentos.
Toda empresa deve conhecer as novas regras e atuar pedagogicamente a fim de esclarecer, aos funcionários, sobre as mudanças. Existe muita desinformação e, se os patrões não estiverem dispostos a dialogar, a central sindical estará.
Uma vez que o negociado passa a prevalecer sobre o legislado, as duas partes precisam estar preparadas e dispostas. “Voltamos às nossas origens. A lei só está dizendo para que as partes sejam capazes de ajustar entre elas suas questões e não precisem recorrer a um árbitro toda vez que encontrarem um obstáculo à frente”, disse Alexandre Almeida da rede Carrefour.
Resumidamente, o que a reforma institui é liberdade com proteção, busca de inclusão dos excluídos, autorresolução de impasses, racionalização do processo judicial e da jurisprudência e equilíbrio entre direitos e deveres. Essa é a proposta, mas, ainda assim, por ser algo novo, é preciso fazer uma análise de cada cláusula a fim de prevenir eventuais litígios.
Se por um lado, é possível negociar jornada e salário, de outro, é dada a garantia de emprego. No caso de discriminação por sexo ou etnia, as multas previstas favorecem o empregado. Sobre a remuneração por produtividade, o acordo entre as partes prevalece sobre a convenção coletiva.

Ler 66 vezes

BRASIL NA ROTA DO ENVELHECIMENTO

O Brasil terá mais idosos do que crianças e adolescentes, de até 15 anos, no prazo de duas décadas. O dado está em projeção divulgada pelo IBGE, no mês de julho, que aponta que o Brasil está em trajetória de envelhecimento e, em 21 anos, o número de idosos, com...

Leia Mais

OMO GANHA EMBALAGEM DE PLÁSTICO RECICLADO

A linha do lava-roupas Omo Multiação, produto da Unilever, ganhou uma edição especial com embalagem produzida com plástico reciclado recolhido do litoral brasileiro.

Leia Mais

MERCADO DE LIMPEZA DOMÉSTICA CRESCE; ATACAREJO SE DESTACA ENTRE OS CANAIS E PRATICIDADE GANHA IMPORTÂNCIA

Em uma época na qual o termo "tempo é dinheiro" não poderia ter uma conotação mais literal, as escolhas de consumo têm sido diretamente impactadas pela necessidade da realização de tarefas da forma mais prática possível - segundo a Kantar Consulting, 82% dos consumidores buscam cada vez mais formas de...

Leia Mais

PARA VENCER A RAZÃO...

No caos que nos atordoa, às vésperas de uma eleição que nos parece imprevisível e decisiva, o que nos consola é saber que o tempo que vivemos vai passar um dia.

Leia Mais

RENDA DE 35% DOS BRASILEIROS É INSUFICIENTE PARA PAGAR AS PRÓPRIAS CONTAS

A renda de 35% dos brasileiros é insuficiente para pagar as contas em dia, mostrou levantamento feita pela CNDL e SPC.

Leia Mais

INTERNAUTA TEM MIGRADO COMPRA POR MARCAS MAIS ECONÔMICAS

O internauta brasileiro está trocando marcas de alimentos mais caras por outras mais econômicas. É o que mostra um estudo do Ibope Conecta sobre alimentação. De acordo com a pesquisa, 69% dos ouvidos estão trocando por alimentos de marcas mais baratas.

Leia Mais

PREÇO DECIDE COMPRAS ONLINE

Levantamento afirma que 67% dos consumidores de lojas virtuais de fora do país consideram que produtos com valores menores são a principal vantagem. Entre os itens mais comprados, estão roupas, calçados e acessórios. 

Leia Mais

FGTS CONSIGNADO

O Ministério do Trabalho está dando os retoques finais num projeto para alavancar os empréstimos consignados para o trabalhador da iniciativa privada, atrelando como garantia os recursos do FGTS. A proposta, que terá que passar pelo crivo do Conselho Curador do FGTS, vai baixar os juros do consignado para o...

Leia Mais

BRASIL FICA ENTRE OS ÚLTIMOS EM RANKING DE CRESCIMENTO

Expansão foi uma das piores em lista de 43 países, superando apenas Hong Kong e México.

Leia Mais

NAS LOJAS, JUROS NAS ALTURAS

Varejista é mais tolerante com devedor para manter relação.Redes ganham com parcelamento. Para consumidor, todo cuidado é pouco.

Leia Mais

CLIENTES DO ATACAREJO VOLTAM A PROCURAR MARCAS LÍDERES

Os clientes do atacarejo voltaram a priorizar as marcas líderes na hora de montar a cesta de compras, principalmente em itens básicos, como arroz, feijão e óleo de cozinha, Para 58% dos clientes que consomem estes produtos, a marca é mais importante do que o preço.

Leia Mais

CERVEJAS APOSTAM EM MACONHA PARA CRESCER

O que as cervejarias americanas estão fazendo para se proteger contra a queda no crescimento de sua principal operação? No caso da empresa mãe da Corona, investindo com força na indústria da maconha.

Leia Mais

MARFRIG VENDE KEYSTONE E SEU VALOR ENCOLHE R$ 397 MILHÕES

Operação com a americana Tyson Foods por U$ 2,5 bi não foi confirmada oficialmente. Para analistas, mudança ajudará a reduzir endividamento.

Leia Mais

INADIMPLÊNCIA DEPENDE DE EMPREGOS E RENDA

O número de brasileiros inadimplentes se mostra estável, mas em patamar elevado.

Leia Mais

DADOS MOSTRAM RETOMADA DE CENÁRIO NO BRASIL

Os indicadores macroeconômicos recém divulgados mostram que voltamos, em partes, ao cenário anterior à greve dos caminhoneiros, mas a demanda segue fraca com a manutenção da desconfiança e do desemprego alto.

Leia Mais